Puri – Uma Índia no Oceano Índico

Saímos de Calcutá com destino à Puri, no litoral banhado pelo Oceano Índico. Fizemos a viagem em aproximadamente oito horas de trem. Pelo caminho algumas rápidas paradas para embarque e desembarque de passageiros em vilarejos ao longo do caminho.

Puri fica no estado do Orissa na área central da Índia. Aqui podemos ver a maneira diferente como os indianos se banham no mar, mulheres de sari e homens de short ou bermuda, muitos não tiram nem a camisa para se banhar. Passamos quatro dias descansando da viagem de Delhi à Calcutá de trem, e da estadia de quase uma semana na agitação e barulheira de Calcutá.

Puri pode ser um oásis na agitação da Índia

Procuramos um local perto da praia para nos hospedarmos e ficamos numa modesta Guest House, onde o dono também era pescador e nos preparou um belo peixe com arroz e salada no dia seguinte! Chegamos já à tarde e ficamos por perto conhecendo a praia e algumas ruas na localidade. À noite o sono veio rápido e dormimos cedo, logo depois do jantar. No dia seguinte fomos conhecer a cidade propriamente dita e acompanhar a chegada dos barcos de pesca na praia. Pegamos “jacaré” (onda de peito), mas tivemos que sair da água pela presença de águas-vivas…

Os pescadores em geral, moram em pequenas casas improvisadas nas praias e feitas de vários materiais, como palha, feno, folhas de bananeiras, terra e outros materiais. Lá eles vivem, consertam seus barcos e redes, constroem anzóis e passam a vida.

Os pescadores e suas casas numa praia de Puri

Resolvi sair sozinho depois deste passeio e aluguei uma bicicleta. Circulei por ruelas que desembocam na praia, comércio e templos até que vi uma casa onde se lia Swami Ananda Ashram. Resolvi tentar conhecê-lo, desci da bicicleta e bati palmas em frente ao portão. Um rapazinho veio me receber e perguntei se o Swami estava. O menino disse que sim, mas que estava ocupado naquele momento fazendo uma cura; me pediu então que voltasse mais tarde. Andei mais um pouco de bicicleta, talvez uns 30 ou 40 minutos e voltei. O menino me levou até Swami Ananda, que estava sentado numa cadeira contemplando o mar. Sua casa era em frente à praia e com uma imensidão de areia e mar à frente.  Fui recebido com gentileza e swami me perguntou de onde era e o que fazia na Índia. Seu olhar era muito penetrante e vazava minha alma! Disse-me que eu voltaria à Índia ainda muitas vezes, que já tinha vivido lá e me convidou para uma aula de yoga no dia seguinte às 6:00 da manhã. Cheguei no horário marcado e somente uma senhora australiana estava presente na aula. Ela tinha uma flexibilidade absurda e eu acompanhei no que me foi possível. Terminada a aula nos despedimos, agradeci a oportunidade e fui embora sem mais o ver depois. Lamentavelmente não tenho fotos do local nem de Swami Ananda.

Puri também é o local do Ashram de Sri Yukteswar, mestre direto de Yogananda e seu Ashram ainda hoje é bem ativo.

Sri Yukteswarji e seu Ashram em Puri

Na escola de Paramahansa Yogananda há uma linha sucessória que começa em Sri Krishna e Jesus Cristo, seguindo para Babaji, Lahiri Mahasaya, Sri Yukteswar e Yogananda.

3

A linha de mestres de Krya Yoga até Paramahansa Yogananda

Puri é tradicionalmente uma das cidades sagradas de peregrinação na Índia, sendo local de muita devoção, meditação e religiosidade para as mais variadas linhas do hinduismo.

De cima para baixo vemos o Jagannath Temple, Lakshmi Temple e Shiva Temple

A cidade também é local de intenso turismo. Possui hotéis muito confortáveis, restaurantes ótimos e muitas opções de lazer esportivo e cultural.

Ótimos hotéis e restaurantes principalmente nas praias

Os esportes aquáticos são muito praticados, com campeonatos de surf e stand up. Também o ciclismo e o cricket, esporte nacional, são fortes na região

Puri é sede de diversos festivais ao longo do ano, dentre eles o famoso Sand Festival, onde artistas locais constroem enormes e coloridíssimas esculturas de areia com temas da cultura e religiosidade do país. O Puri Beach festival tem como pontos de interesse as danças indianas, culinária, música, moda, poesia e muito mais. O Gupta Gundicha, também conhecido como Charriot Festival também é muito concorrido e consiste na lavagem das imagens nos templos e posterior desfile com elas pelas ruas da cidade, podendo voltar ao templo ou serem alocadas em outros locais. Imagens velhas são queimadas e substituídas por novas.  Há vários outros festivais, mas o post ficaria muito longo…

Beach Festival, Sand Festival e Chariott Festival em Puri

Não é muito comum a visita à cidades litorâneas na Índia. Em geral os ocidentais vão em busca de uma “viagem exótica” ou para aperfeiçoar suas práticas espirituais, como também o conhecimento da medicina local, a Ayurveda e outros conhecimentos específicos.

Puri pode ser uma deliciosa surpresa para quem pretende juntar tudo isso numa única cidade, sem que perca sua forte identidade indiana quanto aos costumes e cultura.

Obrigado pela leitura!

EM FEVEREIRO 2019 LEVAREI O PRÓXIMO GRUPO À ÍNDIA. CONHEÇA TODOS OS DETALHES DESTA MARAVILHOSA VIAGEM COM GUIAS EM TODOS OS LOCAIS, HOTÉIS CONFORTÁVEIS, PASSEIOS HISTÓRICOS, CULTURAIS E ESPIRITUAIS!

CLIQUE NA FIGURA ABAIXO. VOCÊ SERÁ ENCAMINHADO AO SITE “MEDITAÇÃO RIO” E TERÁ TODAS AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA IR CONOSCO. SE PREFERIR LIGUE PARA OS TELEFONES: (21) 214606545 (21) 994921557 Ricardo Mendonça e (21) 979792000 Alessandra Santos

folheto_india_jan2019

 

Apoio:

 

 

Um comentário sobre “Puri – Uma Índia no Oceano Índico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s